Estilos e Técnicas


Sobre os principais Estilos ensinados nos Templos de Henan e Fukien


Shaolin Quan - O Original Kung Fu do Templo Shaolin


Pintura do Primeiro Templo Shaolin (aprox. em 500-600 dC)

Não há evidências conclusivas de quem criou o Shaolin Quan, nem quando foi criado. Estudiosos dizem que o Shaolin Quan não deve ser atribuido a uma só pessoa, pois foi criado e desenvolvido pelos monges do monastério ao longo dos anos, com base em formas de lutas populares antigas. O Shaolin Quan (Punhos de Shaolin) é assim chamado em virtude de ter sido criado no Monastério Shaolin nas montanhas Song (Songshan), no munícipio de Degfeng, na província de Henan.

O Templo Shaolin foi construído por ordem do imperador Wei (471-500 dC), para o monge budista Theravada Batuo (Buddhabhadra) cerca de 497 d.C. A construção original era muito simples e consistia em um santuário, pagoda e uma plataforma na qual os monges indianos e chineses traduziam Sutras para o chinês (vide gravura acima). Os dois primeiros monges marciais foram Huiguang e Sengchou e que se tornaram discípulos de Batuo. O grande mestre indiano Bodhidharma (fundador do Budismo C'han (Zen), meditou por nove anos em uma caverna nas proximidades do Templo de Shaolin e transmitiu seus conhecimentos em Budismo e antigos métodos de luta indiana, em torno de 540-570 dC.
O mais antigo registro do desenvolvimento do templo de Shaolin e suas artes marciais esta na Dinastia Tang (618-907), que incluiu a defesa do mosteiro de bandidos locais, ajudando o imperador entronado Li Shimin a derrotar o usurpador Wang Shichong na batalha de Hulao em 28 de Maio 621 d.C. Isso inclui a lenda dos 13 monges guerreiros do bastão, que derrotaram um exército lutando apenas com bastões de madeira.
Ao longo da história as Artes marciais, o Budismo, a Medicina e a cultura do templo de Shaolin foram desenvolvidos, inclusive na Dinastia Song (960-1278 dC) o Abade Fu Yu ( 961 dC) e os monges da época, colocaram muito esforço para a consolidação e desenvolvimento das artes marciais de Shaolin. Mais tarde, no período Song (cerca 1230 AD), os famosos Mestres Jue Yuan, Li Bai Yufeng e Sou, também desenvolveram as habilidades de Shaolin.

Durante a dinastia Ming (1368 – 1644), a cultura filosófica e marcial de Shaolin floresceu. Porém, a dinastia seguinte, Qing (a última imperial chinesa) também conhecida como Manchu (1644 – 1911), tentou dominar a China pelo uso da força, encontrando grande resistência por parte dos monges. Nesse período, considerado a era dourada de Shaolin, existia perto de cinco mil monges vivendo, trabalhando e estudando no templo. Devido às perseguições impetradas por esta dinastia sobre os oficiais leais à dinastia anterior, muitos destes oficiais acabaram se refugiando em Shaolin. Com eles, foram grandes os números de armas que, devido à época tempestuosa em que viviam, acabaram por ensinar seu manejo aos monges. Até essa época, o bastão era a arma mais popular em Shaolin e a única tradicionalmente permitida pelos abades. 
O Templo Shaolin teve uma história tanto ilustre quanto trágica, devido a políticas dinásticas e guerras que  impactavam o templo e suas atividades continuamente. Foi destruído e reconstruído várias vezes e como resultado, muitos de seus estilos de artes marciais foram espalhadas entre os discípulos seculares e leigos mais do que no próprio templo, ou perdidos no esquecimento.

Planta do Templo Shaolin Original


O ultimo incêndio do Templo em 1928 foi significantemente prejudicial visto que muitos monges foram mortos, ao passo que outros se esconderam em reclusão, resultando na pior degeneração das artes marciais de Shaolin da história.
Como resultado dos esforços do governo para restaurar o templo em meados dos anos 1980 e dada a um financiamento adicional de turistas e visitantes motivados por filmes clássicos desse período, o templo estava prestes a ser restaurado. Embora alguns mestres monges tivessem sobrevivido como Shi Dechan, Shi Suxi e Shi Suyang, eles tinham adquirido apenas uma parte das artes marciais de Shaolin. Isto resultou em um projeto para convidar todos os mestres possíveis em torno do templo para re-desenvolver ao maximo as habilidades de Shaolin, Mestres notáveis como Liang Yiquan, Qinghai Zhang, Liu Zhenhai e Liu Baoshan são alguns dos convidados a auxiliar no desenvolvimento do moderno Shaolin Quan.

O Templo Shaolin restaurado na Atualidade.



Sobre as Técnicas do Shaolin Quan:



As artes marciais chinesas são complicadas na estrutura e abundantes nas escolas.
De acordo com os registros históricos, o Shaolin Quan é um entre uma infinidade de estilos de artes marciais chinesas, que goza de uma longa história e um completo sistema espiritual, físico e intelectual. Shaolin Quan não é uma só um estilo de artes marciais ou uma só forma de técnicas de luta, em seu sentido literal, mas sim um profundo sistema de artes marciais com ricos conteúdos.

 Shaolin Quan pode ser classificada em dois tipos: Mãos nuas e Armas, enquanto as armas podem ser divididos em armas longas, armas curtas e armas medias e assim por diante, com base nos tipos de métodos.
O Shaolin Quan também pode ser classificado em várias tipos de habilidades, por exemplo, Treinos de Punhos, Treinos de Bastões, de Facas, de Lanças, de Espadas, treinos físicos e energéticos (Qigong).

Nos primeiros anos, quando o Kung Fu foi formado a maioria das artes marciais eram práticas para o combate imediato, e gradualmente tornou-se movimentos ricos e técnicos, finalmente, formou um conjunto complexo de Kung Fu.

De acordo com os antigos livros-guias de Kungfu escritos no Templo Shaolin, o Shaolin Quan tinha 708 séries de movimentos (Formas/Tao Lus), eram 552 séries de Quan (mãos nuas) e 156 de armas, e outras séries de treinamento como as 72 habilidades únicas, treinos de energia (Qi Gong), técnicas de torções e manpulação das juntas (Qin Na), Sanshou, Suai Jiao, atacar pontos vitais do corpo, etc.

O total de séries existentes é de 545, incluindo 178 séries de Quan, 193 séries de armas, 59 séries de combate imediato, assim como 115 outras séries. Essas formas e habilidades formam um sistema de Kungfu elaborado, afiliado com a cultura Shaolin.



Devido aos mais de 1.500 anos de história do Templo Shaolin, evidentemente, muitos eventos e batalhas tem sido contados  por todo o mundo. A combinação do Budismo Chan e o Shaolin Gongfu conduz a um excelente caminho para a perfeição e saúde.
O Currículo Shaolin, recentemente re-construído é composto por mais de 300 formas de mão. É claro que seria necessário mais do que uma vida para dominar todas elas. Aqui vamos definir as algumas formas de mãos conforme o Autêntico Instituto Shaolin, que é baseado apenas nos conhecimentos dos mestres seculares Liu Bao Shan, Liu Zhen Hai e Liang I Chuan, como ensinado pelo Mestre Wu Chan Long. No total, existem apenas 13 (embora alguns podem ter múltiplos caminhos / pontos variáveis):




  1. Xiao Hong Quan (punho vermelho curto)
  2. Da Hong Quan (punho vermelho longo)
  3. Qixing Quan (punho das sete estrelas)
  4. Changhu Xinyimen Quan
  5. Luo Han Quan (punho do Arahat/Monge)
  6. Mei Hua Quan (punho da flor de ameixa)
  7. Pao Quan (punho de canhão)
  8. Jingangquan (punho do diamante)
  9. Taizu Chang Quan (punho longo de Taizu)
  10. Luo Han Shiba Shou (18 mãos de Arahat)
  11. Tong Bi Quan (punhos batando com os braços)
  12. Liu He Quan (punho das seis harmonias)
  13. Xin Yi Ba (técnica mente e coração)
Em termos de armas, a ênfase está no bastão Shaolin, mas há uma grande variedade de armas ensinadas, estas incluem o seguinte:
  • Bastão: Yin Shou Gun, Shao Huo Gun, Qi Mei Gun e Damo Gun
  • Espada: Damo jian, Long xing jian, Qing long jian e Qi xing jian
  • Sabre: Mei hua dao, Hei hu dao, Dan Dao, Si men dao e Chan tou dao
  • Lança: Hua qiang, Mei hua qiang, Liu he qiang e Luo jia qiang
Entre as armas adicionais incluem a Espada Damo, Tridente, facão de cabo longo, chicote, Guai (Muleta), punhais, espadas gancho e muitos mais.





Desenvolvimento das Habilidades de Shaolin


Shaolin Quan, não é simplesmente o estudo de técnicas de luta, mas de energia também. Fortalecimento do corpo humano externa e internamente para o desenvolvimento da mente, são elementos cruciais para o estudo bem sucedido do Shaolin Quan. Através da história muitos monges e mestres de artes marciais têm sido capazes de obter grandes habilidades com o treino do Shaolin Quan, sendo frequentemente  reverenciados como super-homens.


Desde os primeiros dias de Batuo e o desenvolvimento de Damo (Boddhidharma) que estão na lenda que se pensava ser as habilidades de Yijinjing ( transformação dos músculo tendão ) e Xisuijing ( lavagem da medula óssea ) para a  fantástica consumação das 72 habilidades de Shaolin que foram representados pelo venerável monge Miaoxing.



Começando com os métodos básicos, tais como Tiebi (ponte braço de ferro ), Paida ( condicionamento corporal), Tiejiao (pernas que varrem), evoluindo nos Tieniu mais refinada ( Artes da vaca de ferro), Jingshengong (Habilidades de leveza do corpo), Tieshazhang ( palma de ferro ) e o esotérico Jinganggong (habilidade de endurecimento do diamante), Wuduzhang (5 palmas) e Luohangong ( habilidades do Arhat).

A prática das habilidades também enfoca os aspectos da meditação e do Qigong (desenvolvimento interno de energia), em conjugação com as habilidades de força externa. O uso de medicamentos tradicionais chineses específicos para a habilidade e a fase do método que está sendo desenvolvimento ajuda a garantir um resultado seguro e certo.

Além disso, a prática de métodos de combate diversos, tais como o Sanda (combate livre), Sanshou (lutas de contato), tuishou ( mão que empurram ), Chin Na (agarramento e torções) dão mais auxílios para o desenvolvimento eficaz das habilidades de combate.

O estudo das artes marciais de Shaolin são somados com o Chan (Desenvolvimento Interno e Meditação), Gong (habilidade e poder), Yi (práticas medicinais) e Quan (técnicas e métodos de combate).
Em Shaolin  também é dito que Chan (Zen) e Wu (Artes Marciais) são um só, portanto, o início começa , sem nada (figurativamente falando), prossegue para Yi (intenção) e acaba em nada de novo.

Embora isto seja mais metafórico do que real, em termos simples de  prática isso refere-se aos elementos críticos de sucesso que estão a ser abertos à aprendizagem, ter a vontade e determinação para garantir a prática de habilidades e então, fazer as habilidades tornarem-se você.




O Caminho da Prática:

Shaolin Kung Fu é ensinado e praticado principalmente por instruções verbais, físicas e exercícios diligentes, usando a fórmula de memória como auxílio. Para alcançar um nível mais elevado no Shaolin Quan é inteiramente necessário a instrução de um mestre verdadeiro.
Além disso, as práticas cotidianas do Chan(zen) podem manter a melhora progressiva nas habilidades Kung fu. A meditação Zen desenvolve a sabedoria e abre o terceiro olho ou prajna, aperfeiçoando as praticas marciais, possibilitando o estudante a enxergar o invisível e sentir o intocável. A escola Chan, centra-se na prática da vida real, de modo a atingir a meta do Budismo nas atividades simples. Como parte do cotidiano dos monges de Shaolin, no Shaolin Quan foi incorporado o processo de praticar o Chan. Na verdade o Shaolin tradicional é apenas um braço do Budismo Chan chinês :


De maneira geral, são nove os estágios de compreensão do Shaolin Kung Fu:
1) Familiarizar-se com o Templo Shaolin e o Kung Fu;
2) Admirar o espírito e os ideais do Shaolin Kung Fu;
3) Criar determinação, e definir o objetivo de estudar o Shaolin Quan;
4) Ter obsessão pelo Kung Fu e ter a certeza de que o objetivo sera alcançado;
5) Determinação em desenvolver prática diligente;
6) Compreendendo todo o sistema do Kung Fu e seus conteúdos culturais;
7) Transformar os conhecimentos do Shaolin Quan em crença Chan, incorporando Kung Fu com o cultivo da prática Chan, nesta fase, o praticante irá integrar a aplicação do Kung Fu transformando-o em um portal do Dharma para a escola Chan;
8) Focalizando desenvolvimento espiritual, o estudante nesse fase deixa de centralizar o Kung Fu como um fim, e baseado no Chan, o Kung Fu torna-se uma abordagem eficaz para cultivar o Budismo;
9) Ganhar um insight sobre a natureza humana, contemplando a essência do Budismo e do universo.

De acordo com as doutrinas Chan, a natureza de todos os fenômenos é a impermanência, e o lutador deve desenvolver um espírito de purificação e de desapego para eliminar as aflições e trazer a iluminação. Ao aplicar o Chan, o Kung Fu de Shaolin atinge um nível tão elevado que nenhuma outra arte marcial pode corresponder, e possui uma característica única no caminho espiritual.




Estilo de Kung Fu dos Animais

Durante o tempo do fim do primeiro milênio, a China estava em uma área de perigo.
Estava sendo invadida com sucesso por um poder estrangeiro e logo sucumbiria às regras de seus inimigos.
Muitos chineses não estavam felizes com isso e uma explosão de resistência cresceu entre as pessoas que treinaram duro as artes marciais.
A população Chinesa era composta de muitos camponeses que viviam em pura harmonia com a natureza.
Observando os movimentos de luta e caça e estudando a vida dos animais, esses camponeses criaram estilos de Kung Fu com movimentos baseados nos animais.
Nesta época foram criadas apenas técnicas únicas,com uma unica forma (Tao Lu como conheçemos hoje)em seu sistema, que ao longo dos próximos 400 anos viriam a evoluir para estilos completos de Kung Fu.
Muitos estilos de Kung Fu desta época foram perdidos no tempo, mas varios estilos dos animais vivem até hoje, em varios sistemas e tipos de Kung Fu modernos.

A seguir daremos uma introdução aos principais estilos de animais do Shaolin Kung Fu.


O Wu Xing Quan


O Shaolin "Wu Xing Quan", tambem conhecido como "Wu Xing Ba Fa", é o estilo que imita os cinco principais animais de Shaolin.
Eles são o Tigre (Hu), o Leopardo (Bao), a Garça (He), a Serpente (She) e o Dragão (Long).
Porém, estes cinco estilos de animais também são praticados separadamente do estilo "Wu Shin Quan", tendo seus próprios sistemas de luta, isolados ou não do Kung Fu Shaolin tradicional.


Tigre - Hu Quan

Simples e direto, é a maneira de luta no estilo Tigre. O alvo principal é a garganta dos adversários. Suas armas principais são o punho e a garra. Ao aprender o Tigre de Shaolin, você vai descobrir o poder da simplicidade e objetividade. Você vai aprender a identificar o principal ponto de fraqueza e, em seguida, desenvolver a habilidade e poder para chegar a este ponto.

No sentido de arte marcial você irá desenvolver suas técnicas fortes e diretas. Você vai treinar e endurecer o corpo (e a mente) para ser capaz de desviar ataques, e causar dor e irritações no inimigo. Suas técnicas são diretas e poderosas, sempre em linha reta, e volta usando socos sólidos e poucos chutes.

Mentalmente, você vai aprender a reconhecer a principal fraqueza de um adversário (seja ela física, mental ou espiritual) e, em seguida, ser capaz de superar isso para atacar o núcleo. Ao mesmo tempo, você terá que endurecer-se e ser invulnerável a ataques mentais e espirituais (distrações, estratégias). O treino de tigre precisa ser complementado com o treino de corpo de ferro, treino de força e resistência, e treino das garras.

Principais Técnicas de Tigre no estilo Shaolin Sul e Norte: Shaolin Hu Quan (Tigre de Shaolin), Lo Fu Kyun (Tigre Antigo), Siulam Fu Kyun (Tigre do Sul), Bak Fu Jow (Garras do Tigre Branco), Fu Jow Pai (Garra de Tigre), Hei Hu Quan (Tigre Negro) e Hak Fu Moon Kyun (Tigre Negro do Sul).


Estilo do Tigre - Hu Quan


O Leopardo - Bao Quan

Foi supostamente criado por Jue Yuan com a ajuda de Bai Yufeng e Sou Li.
Desenvolvido pelo monge Mot, o estilo do leopardo vem da familia do estilo do tigre e é usado para desenvolver velocidade e força. Esse estilo tem movimentos não ortodoxos, ritmo quebrado, e técnicas rápidas. Sua característica principal é o ataque com o punho de maneira rápida e veloz. 
A ênfase do leopardo é o ataque e velocidade angular. O leopardo não se baseia na força, como faz o tigre, mas depende de velocidade e precisão.

O poder, como em todas artes marciais, vem de uma base sólida, mas no estilo do leopardo particularmente vem da velocidade agressiva. As pessoas que estudam leopardo incidirá sobre os cotovelos, joelhos, chutes baixos, socos e mão de leopardo.O estilo do Leopardo promove estratégia pensada, e astúcia.

Se confrontado diretamente, o lutador de leopardo buscaria confundir e tirar a razão na luta.
Seu sentido marcial irá desenvolver técnicas incomums, o foco em estratégias como bater-e-correr em conjunto com técnicas que confundem a mente e o sentimento do adversário. Você não precisa ser particularmente forte para aprender o leopardo,  precisa ser muito rápido e ter agilidade e precisão.

O lutador de leopardo é um personagem muito bem informados que prefere se preparar, planejar e executar com um mínimo de esforço e maior chance de sucesso, com a participação mínima ou minimo auto-risco.

Principais Técnicas de Leopardo no estilo Shaolin Sul e Norte: Shaolin Bao Quan (Leopardo Shaolin). Siulam Pau Kuen (Leopardo do Sul), Wu Hua Bao Quan (Leopardo Cinco Flores), Jin Bao Quan (Leopardo Dourado), Hei Bao Quan (Leopardo Negro).

Estilo do Leopardo - Bao Quan

A Garça - He Quan

Conta a lenda que o estilo da Garça foi criado por um mestre Taoista do Templo de Wudang.
Enquanto meditava ao ar livre, este mestre foi interrompido por barulhos vindos de uma briga entre dois animais, uma serpente contra uma garça.
O mestre assistiu a luta e observou fascinado a incrivel agilidade dos dois animais, quando a garça atacava, imediatamente a serpente recuava, e o mesmo acontecia quando a serpente atacava.
Nesta luta o mestre visualizou por completo o conceito Taoista de Yin e Yang, a representação taoista do príncipio da dualidade no universo. Apos meditar na cena da luta, este mestre criou exercicios variados baseados nos movimentos da serpente e da garça, dando assim inicio ao que seria mais tarde os estilos de Kung fu da Serpente e da Garça.

O Tigre é Poder do Físico, o Leopardo é o Poder da Mente, a Garça tem o poder da Paciência, elegancia, e evasão. Os estilos do Tigre e Leopardo tem ofensivos estilos com base, a Garça de Shaolin (e a Serpente) são especialistas em defesa e contra ataque. A Garça não avança nos oponentes, mas permite que os oponentes avançem eles mesmos para que haja um ataque apartir do proprio ataque do oponente.  

O Estilo da Garça não usa da força, mas cria uma situação na qual a força do atacante se torna sua fraqueza. Creio que essa é uma das maneiras mais inteligentes de se defender, mas também um dos mais difíceis, exigindo maior quantidade de habilidade dos nervos, e total agilidade

Principais Técnicas de Garça no estilo Shaolin Sul e Norte: Shaolin He Quan (Garça de Shaolin), Bak Hok Kuen (Garça Branca de Fukien), Pak Hok Pai (Garça Branca Tibetana), Fei He Quan (Garça Voando), Siulam Hok Kuen (Garça do Sul), Zong He Quan (Garça Ancestral), Shi He Quan (Alimentando a Garça), Ming He Quan (Garça que Grita).


A Serpente - She Quan

Criado juntamente com o estilo da garça (ler acima), o estilo Shaolin da Serpente é um dos que usa da sabedoria e conhecimento. É um estilo de ordem e controle nas paradas, não aleatório, é um estilo de poder sem violência, muita velocidade e com conhecimentos e dominação.

Consiste em defesa e trabalha movimentos ofensivos. Há foco na velocidade dos giros e movimentos de corpo contínuos.
O estilo da Serpente é executado com as mãos esculpindo a cabeça de uma serpente em uma mistura de "duro" e "suave" (Yin e Yang). Contando com movimentos lentos e suaves, o adversário pode surpreender-se com sua flexibilidade, velocidade e força, desde que bem concentrado chi (Energia Interior).Seu objetivo nos ataques é a busca dos pontos vitais como olhos, garganta, plexos, vão entre as côxas e abdômem.
  
O Estilo Serpente é bem adequado para pessoas sem muita força física; aqueles que preferem não usar a violência súbita como um meio de defesa. É um estilo que prefere complicar um atacante, torná-los perdidos, em seguida capturar e tira-los a força. Este estilo é mais adequado para controle de situações "um-contra-um", uma vez que requer precisão, habilidade e atenção. As técnicas de "Chi Sao" no estilo Wing Chun, foram criadas apartir dos estilos da Serpente e da Garça de Shaolin.

Principais Técnicas de Serpente no estilo Shaolin Sul e Norte: Shaolin She Quan (Serpente de Shaolin), Siulam Se Kuen (Serpente do Sul), Shen She Quan (Serpente Divina), Shuang She Quan (Serpente Gêmeas), Ying She Quan (Serpente das Sombras), Jin She Quan (Serpente Dourada), Wang She Quan (Rei das Serpentes).


O Dragão - Long Quan

A origem deste estilo enigmático é freqüentemente questionado, muitos estudiosos dizem que o estilo teve origem nos anos 1750 - 1800 e foi desenvolvido pelo monge Budista Tai Yuk Sin Si do Templo Wah Sa Toi.
Durante um festival chamado Yue Shen, para qual vinha lutadores de Kung Fu de toda a China, Tai Yuk conheceu o mestre de Hakka Kuen, Lan Yiu Kwai, que fazia demonstrações neste festival. Após a demonstração do mestre Lam, o monge Tai Yuk riu de seu Kung Fu e lhe disse que o seu estilo era bonito mas não tinha uso pratico. O mestre Lan ao ouvir isso ordenou que 11 estudantes o atacassem, mas os mesmos não foram capazes nem de tocar Tai Yuk.
Impressionado, ele próprio o ataca e ordenou também que seus estudantes atacassem novamente. Mas desta vez Tai Yuk derruba todos os estudantes menos Lan. Diante desta pura demonstração de Kung Fu, mestre Lan cai ao pés de Tai Yuk e pede que a aceite como seu discípulo.
Tai Yuk aceitou e começou a ensinar Lan Yiu Kwai que se tornou um dos "5 tigres de Cantão" e Tai Yuk ficou conhecido como o Mestre do Dragão.
Lan Yiu Kwai passou a transmitir o estilo do Dragão acoplado ao seu antigo estilo Hakka Kuen, e levou este estilo ao publico, enquanto o Monge Tai Yuk continuou á transmitir o estilo original nos templos Budistas de sua época.

Monge Budista Tai Yuk Sin Si do Templo Wah Sa Toi, um dos primeiros monges á ensinar leigos (não-monges) o estilo do Dragão.


O Kung Fu, estilo Dragão, ensina aos praticantes a tirar a energia a partir da cintura e manifestá-la por meio de suas mãos e pés, porque não depende do tamanho da pessoa ou peso. É um estilo eficaz também para mulheres como forma de defesa pessoal. Uma das marcas desse estilo é o conceito de que a energia do corpo é mais eficiente quando usada em espiral, como um dragão que se encolhe e desenrola para que os movimentos estejam interligados, provocando um fluxo contínuo de energia, possibilitando a liberação de uma energia interna para uma explosão externa, intensificando o poder dos golpes do dragão, sendo eficaz na autodefesa, uma vez que as mãos e os pés estão em constante movimento, sem deixar aberturas ou portas para o adversário. O estilo Dragão é famoso por suas técnicas manuais, nas quais são utilizadas em alta velocidade as técnicas de mão e braço, usando socos, ganchos, batidas com as palmas, garras, blocos com o antebraço e cotoveladas, combinados com os movimentos do corpo em espiral por meio de ataques em cadeia, liberando toda a energia do corpo projetada contra o adversário.
O praticante do estilo Dragão deve ter flexibilidade nos ombros e punhos, o peito côncavo utilizado para proteger o corpo e abrindo para liberar uma força de impulso, em conjunto com uma ação global de todo o corpo executando muitos golpes com os antebraços como se eles fossem um martelo. Por isso, deve-se praticar muito em boneco de madeira e outros materiais que preparem os antebraços para serem fortes e destruírem (filosofia de dragão) tanto no ataque como na defesa, sendo excelente para abrir a guarda dos adversários.
Os cotovelos sempre retornam na posição de proteção das costelas, tornando mais fácil os bloqueios dos golpes de ataque. No ataque utilizam golpes em sequência, onde uma mão e o antebraço são utilizados de forma que quando uma está no ataque a outra já está pronta para dar sequência ao golpe, não permitindo, por meio da posição fechada da postura, levar contragolpes.
Nas técnicas de deslocamentos dos pés, utiliza a forma de Pek Pou. O praticante desloca a perna da frente a qual é acompanhada pela de trás, pressionando o adversário com uma aproximação rápida. Também utiliza a forma Ziguezague, com deslocamentos laterais para esquivar de golpes e contra golpear, surpreendendo o oponente por vários ângulos, com golpes fortes e velozes, que combinam técnicas macias e duras que pressionam o oponente com um ataque em cadeia até que ele reconheça a derrota, utilizando a filosofia do Yin e Yang na arte de lutar Kung Fu (Yin sendo o movimento negativo que é utilizado para desviar a atenção ou abrir a guarda do adversário, para que no segundo momento entre o movimento Yang, o movimento positivo que atingirá o oponente com força total).
Este estilo é conhecido por defesas e ataques fechados e pelo famoso "Mok Kiu" (entrelaçar os braços), movimento imortalizado na atualidade no golpe "Hadouken" dos personagems Ryu Hoshi e Ken Masters nos jogos de video game da série "Street Fighter".
Os segredos do poder e força do estilo Dragão estão nos cinco elementos externos e nos cinco internos. Os cinco elementos externos são: Ngan (olhos), Sun (mente), Sou (mão), Yiu (quadril/cintura) e Ma (postura de cavalo). Os cinco elementos internos são: Sun (espírito), Yee (propósito), Ghi (desempenho), Chi (força interna) e Gink (força externa), em combinação com a respiração que imita o som do dragão que é emitido durante o movimento concentrado, liberando a energia para obter o máximo de força interna e externa, cuja inspiração é silenciosa e a expiração realizada em maior parte pelo nariz e uma pequena parte pela boca (semiaberta), com ênfase na contração abdominal.
Quando o praticante domina estes elementos, ele está apto a perceber e receber o incrivel poder do Dragão.

Principais Técnicas de Dragão no estilo Shaolin Sul e Norte: Shaolin Long Quan (Dragão de Shaolin), Siulam Lung Kuen (Dragão do Sul), Lung Ying Jing Chun (Punhos na Forma do Dragão Classico), Lung Ji Mo Kiu (Dragão se Esfregando na Ponte), Qing Long Tan Hai (Dragão Azul Explorando o Mar), Long Bai Wei (Dragão Balança a Cauda), Fen Hong Long (Dragão Vermelho Irado), Lu Long Quan (Punhos do Dragão Verde), Long Qi Tian (Dragão Subindo aos Céus), Fei Long Quan (Dragão Voador), Lao Long Quan (Punhos do Dragão Antigo), Yun Bai Long (Dragão Branco nas Nuvens), Yi Bai Ling Ba Long Quan (Punhos dos 108 Dragões), Shen Long Quan (Dragão Sagrado), Hei Long Quan (Punhos do Dragão Negro).


Fukien Siulam Kyun - O Kung Fu Shaolin do Sul

Sucessivos ataques e longos períodos de inatividade, fizeram com que o Templo de Henan desse origem a outros Templos. Líderes imperiais e regionais temiam o poder das artes marciais de adeptos nem sempre monges de Shaolin. Refugiados em Shaolin, estes adeptos das artes marciais deixavam os Templos para ensinar privativamente ou em outro Templo Taoísta ou Budista. Devido há essas circunstâncias, novos Templos Shaolin surgiram (Fukien, Kwangtung) ou se convertiam há ordem Shaolin outros templos já existentes (Wu Dang, O Mei Shan).

O Wing Chun, Baak Mei, Hung Gar e outros sistemas de Kung Fu Shaolin do Sul, todos fazem referência ao incêndio do Templo Shaolin em suas tradições. A maioria dessas lendas não faz distinção entre os Templos Shaolin do Norte e Sul. Consequentemente, alguns estudiosos de hoje sugerem que não existiu um Templo Shaolin do Sul, deixando os praticantes em estado de confusão entre as lendas e as correntes descobertas históricas.

Esse texto é para elucidar a evidência da existência do Templo Shaolin do Sul, bem como sua destruição e sua presente reconstrução na Província Sulista de Fujian, China.
 
O Templo Shaolin do Sul foi o resultado da resposta dos monges guerreiros do Templo Shaolin de Henan à solicitação de assistência marcial da jovem Dinastia Tang. As incursões piratas na Província de Fujian comprometiam a estabilidade e a prosperidade no Sul da China e a nova dinastia precisou agir. À solicitação do Imperador, três dos treze lendários monges guerreiros bastoneiros de Shaolin, Dao Guang, Seng Man e Seng Feng, conduziram aproximadamente 500 monges guerreiros ao Sul no início do século VII D.C. para engajar-se na batalha contra os piratas. Eles auxiliaram os soldados Tang a recuperar a situação e a guerra costeira foi vencida.

De acordo com as pesquisas realizadas na última década pelas três organizações históricas independentes do Governo Chinês - a Associação dos Arqueólogos da Província de Fujian, o Museu de Fujian e Associação Investigadora do Templo Shaolin do Sul de Putian - muitos monges guerreiros tombaram nas batalhas seguintes. Para homenagear a morte de seus companheiros, alguns dos monges Shaolin permaneceram para trás nas Províncias do Sul. Eles foram bem vindos e seguidos pelos monges locais que buscavam se tornar discípulos Shaolin.
Dão Guang inicialmente retornou ao Templo Shaolin de Songshan e visitou Tan Zong, o Grão-Mestre. Tan Zong escreveu um poema para ele e o incumbiu de selecionar um local parecido com a montanha Songshan “Jiu Lian” e então construir um Templo Shaolin no Sul em homenagem aos seus irmãos que tombaram na batalha. O Grão Mestre o incumbiu a relembrar seus ancestrais e disseminar a Filosofia do Budismo Chan nativa no Templo de Song San - também chamada “Zen” na cultura japonesa atual.
O significado literal do poema é: “Dias e meses enfrentando bandidos errantes, desejando um Templo ao pé da Montanha Jiu Lian; Shaolin do Norte e do Sul originados do mesmo Chan, é encravado em seu coração para sempre”.
Dao Guang retornou para Fujian e selecionou a Montanha Lin San (que em topografia se parecia com a montanha “Jiu Lian”) como o local do Templo Shaolin do Sul.

As evidências acumuladas pelas três organizações arqueológicas e históricas citadas acima estabelecem que o Imperador Tang, Taizu Li Shimin (600 – 649 D.C.), aprovou o local proposto e a construção de um Templo Shaolin do Sul. Ele era particularmente apreciado pelos monges, pois os monges ja tinham antes salvo sua vida em um conflito com um General inimigo que desafiou sua ascendência ao Trono.
Li Shimin reinou de 626 – 649 D.C. Ele levou o Taoísmo e o Budismo junto com o Confucionismo ao governo do país. A Tradição Chan do Shaolin do Sul foi também criada nesse tempo, junto com a prática das artes marciais do Templo.   

Séculos depois, eventos durante a transição das Dinastias Ming e Qing produziram um clima político que provocou uma crescente necessidade pelo desenvolvimento de artes marciais no Sul. Durante esse período, leais aos Ming e os guerreiros do Shaolin do Sul fundaram uma sociedade secreta chamada Hung Fa Wui. Os membros dessa sociedade incluíam ex-Oficiais Militares Miing de alta patente e membros da Família Real Ming. O local de encontro da Hung Fa Wui, chamado Hung Fa Ting, foi a única construção original que encontrada intacta quando o Templo foi escavado. O Governo Chinês data a criação da Hung Fa Ting e da Hung Fa Wui em 1646 D.C., dois anos depois do colapso da Dinastia Ming no Norte da China. Os mestres marciais da Hung Fa Wui juntaram seus conhecimentos e criaram um sistema de combate que seria rápido para se aprender e efetivo contra todos os demais estilos pelo mapeamento das características espaço-temporal e energéticas do campo de batalha para estrutura da fisiologia humana, transmutando assim um Shaolin Quan meditativo e espiritualizado para um sistema de luta altamente científico.

A efetividade do estilo e as atividades revolucionárias dos sistemas do Shaolin do Sul assustaram o Imperador Qing naquele tempo. Durante este período, alguém dentro do templo traiu tanto a Hung Fa Wui (Sociedade da Flor Vermelha) como o próprio Templo Shaolin do Sul. Aproveitando a situação, os Qing ordenaram a destruição do Templo Shaolin do Sul em um ataque surpresa através do uso de um grande exército especialmente treinado, que deixava o templo em esmagadora desvantagem. Após a destruição, membros sobreviventes se espalharam através das províncias do Sul. Suportados por outras sociedades secretas, esses revolucionários continuaram a disseminar suas atividades e estilos de luta. Muitos dos sistemas de Kung Fu do Sul traçam suas raízes ao Templo de Fukien.

Templo Shaolin de Fukien


O governo chinês tem hoje apresentado prova destas ações através de escavações de ruínas maciça no terreno onde tradicionalmente acredita-se ser o local do original do Templo Shaolin do Sul, bem como locais de sepultamentos das últimas realezas Ming.

Atualmente, acredita que apenas um punhado de monges guerreiros sobreviveram a destruição do templo.
Cinco deles, depois conhecido como os cinco Anciões de Shaolin, supostamente entraram em contato com Chan Gan Nan, também conhecido como Chan Wing Wah, foi um general e ex-braço direito de Chan Sing Gung.

Note-se que os cinco anciãos de Shaolin pode ser uma metáfora de cinco diferentes sociedades secretas fundada pelos monges. Eles também podem ser simplesmente uma metáfora histórica para outras variações de sistemas de artes marciais de Shaolin do Sul. Esses sistemas podem ser referido de forma global como o Shaolin Quan de Fukien (Fukien Siulum Kun em fukines).

Alguns destes sistemas são tecnicamente tão semelhantes que parecem ser apenas variações um dos outros, e eles compartilham todas as lendas sobre suas origens. Suas diferenças parecem crescer com o passar de cada nova geração, comforme eles se tornam cada vez mais públicos. Com sua identidade pública, tornaram-se cada vez mais centrada na personalidade do indivíduo e da repercussão e expressão e não sobre os princípios, conceitos e estruturas que foram cumpridos de forma agressiva quando eram sociedades secretas.

Os seguintes sistemas, remetem suas raízes ao Templo Shaolin do Sul e são considerados parte do sistema do Fukien Siulum Kyun:

Alguns dos estilos internos do Templo Shaolin de Fukien:

Tat Mo Kyun (Mãos de Da Mo)
Lo Hon Kyun (Punhos do Arhat)
Fut Kyun (Punhos de Buda)
Fut Jeung (Palmas de Buda)
Tong Long (Louva Deus do Sul)
Seisap Ng Kyun (Sistema dos 45 Socos)
Tchou Da (Punhos Martelo)
Bak Hok Pai (Grou Branco)
Nan Toi (Pernas do Sul)
Ngo Hong Kyun (Sistema dos Cinco Elementos)
San Chin Kyun (Sistema das Três Guerras)
Bai Kyun (Punhos Cerrados)
Je Mah Kyun (Cavalo Selvagem)
Zang Cin Tung (Monge de Bronze)
Ngo Ying Kyun (Punho dos Cinco Animais)
Bak Mei (Estilo do Sobrancelha Branca)
Hau Kyun (Punhos do Macaco)
Tid Sin Kyun (Punhos Linha de Ferro)
Si Men Kyun (Sistema dos Quatro Portões)
Mou Kyun (Sistema Gato)
Biu Ji (Dedos Dardos)
Tai Zu Kyun (Punhos do Grande Imperador Ancestral)
Hak Fu Kyun (Tigre Negro)
Lo Fu Kyun (Punhos do Tigre Antigo)
Lung Kyun (Dragão do sul)

entre outros...

Principais estilos criados posteriormente, com base nos estilos internos do Shaolin do Sul. 

Ngo Cho Kyun (Punhos dos Cinco Ancestrais)
Wan Nam Kyun (Punhos das Nuvens ao Sul - Yunnan)
Hung Gar Kuen (Punhos da Familia Hung)
Choy Gar Kuen (Punhos da Familia Choy)
Mok Gar Kuen (Punhos da Familia Mok)
Li Gar Kuen (Punhos da Familia Li)
Lau Gar Kuen (Punhos da Familia Lau)
Wing Chun Kuen (Punhos da Canto de Primavera)
Fut Gar Kuen (Estilo da Familia Budista)
Choy Lay Fut (Punhos da Familia Choy, da Familia Li e da Familia Budista)

Todos esses sistemas compartilham lendas semelhantes e empregam muitas técnicas similares.

Arqueólogos nas ruinas do Original Templo Siulam (Fukien).